Compartilhar

Dengue na gravidez: quais os riscos e como se prevenir?

Jornadas da Vida - Bebê a Bordo Por Jornadas da Vida – Bebê a Bordo
ícone de relógio indicando o tempo de leitura​ 4 min de Leitura
ícone de calendário indicando a data da publicação​ Criado em 21/05/2024 | Atualizado em 16/05/2024

Compartilhar

Os casos de dengue no Brasil são motivo de preocupação, especialmente em época de chuvas e de calor. Nesse período, o número de infectados costuma aumentar consideravelmente, colocando famílias em alerta. Mas, afinal, a dengue na gravidez pode prejudicar o desenvolvimento do bebê?

Essa é uma dúvida que pode afligir futuros pais e mães que estão em preparativos para a chegada do novo membro da família, o que já envolve bastante trabalho. Nesse caso, é importante saber quais os riscos de uma grávida pegar a doença, como se prevenir e, caso seja infectada, como lidar com a dengue.

Essas informações você encontra a seguir. Continue lendo!

Quais os principais riscos da dengue durante a gestação?

A dengue apresenta riscos tanto para a mãe quanto para o bebê. Por exemplo, a gestante pode ter desidratação e sangramento. Em casos mais graves, há maior risco de hipertensão gestacional, descolamento prematuro de placenta e de aborto espontâneo. O bebê ainda pode ter baixo peso ao nascer.

Os problemas provocados pela infecção por dengue variam em cada fase da gravidez, de modo que em alguns momentos será preciso atenção redobrada. Veja:

  • começo da gravidez — quando a doença é contraída logo no início, existe um risco real de abortamento do bebê;
  • meio da gravidez — nessa fase, a infecção por dengue pode fazer com que o bebê nasça prematuro;
  • final da gravidez — quando a gestante contrai a doença perto do parto, o bebê pode nascer infectado pelos vírus da dengue por meio da placenta, pois ela funciona como via de transmissão. Um bebê com dengue pode desenvolver complicações.

Vale destacar que a dengue hemorrágica, versão mais grave da doença, aumenta as chances de prematuridade e de o bebê nascer com baixo peso. Isso sem falar no risco elevado de natimorto, bem como na chance maior de óbito materno devido a complicações da doença.

Como prevenir a dengue na gravidez?

Saiba lidar com a dengue na gravidez

A vacina contra dengue já está disponível na rede pública. No entanto, não é indicada para gestantes, uma vez que usa o vírus vivo atenuado.

Portanto, para se prevenir da dengue, o principal é evitar a picada do transmissor, isto é, do mosquito Aedes aegypti. Isso pode ser feito em duas frentes:

  • eliminar as condições para reprodução de mosquitos. Por exemplo, retirando água parada de vasos, pneus, calhas, potes, canos, etc.
  • implementar medidas para afastar, neutralizar ou impedir mosquitos de picarem a gestante. Isso inclui ações como uso de repelentes e de roupas longas e claras, instalação de telas de proteção em janelas e portas, instalação de mosquiteiros, etc.

Em geral, siga as práticas de prevenção recomendadas ao restante da população. Dessa forma, a família poderá se proteger da doença e preparar uma casa mais agradável para o futuro morador.

O que fazer se pegar dengue na gravidez?

O tratamento das gestantes que contraem dengue é similar ao do resto da população, ou seja, demanda uma boa hidratação, repouso e uso de medicamentos para manter sob controle alguns sintomas, como febre. Além disso, outras ações são úteis, como se alimentar adequadamente para fortalecer o organismo e nutrir bem o corpo do bebê.

Também é necessário evitar o tabagismo e outras práticas que podem aumentar a chance de complicações na gestação.

É importante realizar o pré-natal regularmente e se informar com o médico obstetra sobre as práticas mais saudáveis enquanto se está com dengue.

Um ponto de atenção é que alguns dos efeitos da dengue podem passar despercebidos ou ser confundidos com sintomas da gravidez. Por exemplo, fadiga, febre, dores pelo corpo e nas articulações, entre outros.

A dengue na gravidez é algo sério, que requer muita atenção, pois qualquer descuido pode causar consequências ao bebê e à mãe.

Portanto, é essencial tomar providências para o mosquito não se aproximar de dentro do seu lar, bem como buscar ajuda médica ao menor sinal da doença. Dessa forma, aumentam as chances de um ambiente saudável e seguro para o novo membro da família!

E se o bebê chegar antes do previsto, o que fazer? Confira nosso artigo especial sobre as causas do parto prematuro e quais os principais cuidados se isso acontecer!