Compartilhar

Gastos com filho: valor pode chegar a R$ 2 milhões

Jornadas da Vida - Bebê a Bordo Por Jornadas da Vida – Bebê a Bordo
ícone de relógio indicando o tempo de leitura​ 4 min de Leitura
ícone de calendário indicando a data da publicação​ Criado em 27/02/2023 | Atualizado em 27/02/2023

Compartilhar

A chegada de um bebê certamente é um momento de grande alegria para as famílias. No entanto, essa nova vida também representa o aumento das despesas no orçamento doméstico. Por isso, é importante saber de antemão quais os principais gastos com filho, sobretudo no primeiro ano de vida.

Desse jeito, é possível se organizar para arcar com tudo o que a criança precisa sem que isso complique a situação financeira da família. A seguir, separamos algumas informações para ajudar você a entender melhor quais são esses gastos. Confira!

Quanto custa ter um filho?

O custo financeiro de ter um filho depende muito da classe social da família, ou seja, de quanto dinheiro se tem disponível para investir nos cuidados com a criança. Na classe C, por exemplo, o valor pode passar de R$ 400 mil, considerando desde a fase de planejamento para ter o bebê até os seus 24 anos de idade.

Já na classe B, o total supera a faixa dos R$ 900 mil, podendo chegar aos R$ 2 milhões! Gastos com educação e saúde estão entre os principais, devido à busca por escolas privadas e planos de saúde.

Nas classes mais baixas, que utilizam escolas públicas e serviços do SUS (Sistema Único de Saúde), esses tipos de despesas não são tão representativas.

Afinal, quais são os principais gastos com filho no primeiro ano?

Pai e mãe comprando fraldas no supermercado, um dos principais gastos com filho no primeiro ano

Em relação especificamente ao primeiro ano do bebê, é importante a família estar preparada para certos gastos que são inevitáveis.

Veja quais são os principais:

  • alimentação: embora exista a opção do aleitamento materno, algumas crianças podem precisar de fórmula infantil — além disso, outros alimentos são introduzidos após os primeiros 6 meses de vida;
  • fraldas: como nessa fase os bebês usam fraldas o tempo todo, esse acaba por ser um dos principais gastos no primeiro ano;
  • vestuário: os bebês crescem rápido, o que significa que as roupinhas são usadas por pouco tempo e logo precisam ser trocadas por outras maiores;
  • higiene: lenços umedecidos, pomada para assaduras, talco e outros itens de higiene especiais para bebês são mais uma despesa inevitável no primeiro ano;
  • creche: no caso de pais e mães que trabalham fora, é necessário colocar a criança em uma boa creche ou contratar uma babá;
  • plano de saúde: como os bebês precisam de um bom acompanhamento médico, contar com um plano de saúde é uma necessidade.

Como fazer essas despesas caberem no bolso?

Se existe um segredo para conseguir dar conta de todos esses gastos que destacamos sem grandes complicações, com certeza é o planejamento financeiro. O ideal é começar a fazer isso antes mesmo de tentar engravidar. Desse jeito, o casal tem mais tempo para fazer uma boa reserva de dinheiro.

Também é importante sempre listar todas essas despesas, comparar preços para achar o melhor custo-benefício e saber separar o que realmente é necessário do que é supérfluo. Assim, fica mais fácil fazer com que todas as despesas com a criança caibam no bolso.

Agora que você já sabe quais são os principais gastos com filho no primeiro ano, é melhor começar o planejamento financeiro o quanto antes, não é mesmo?

Nesse e em outros momentos da vida, isso ajuda a administrar melhor o orçamento, evita dívidas, reduz os desperdícios de recursos e proporciona uma boa reserva para os momentos de emergência.

Inclusive, em casos de imprevisto, é essencial contar com um seguro de vida. Ele pode até ter coberturas para usar em vida, como em situações de invalidez ou doenças graves, por exemplo.

As informações que trouxemos foram úteis para você? Assine a nossa newsletter e confira outros conteúdos como este!