Compartilhar

7 dicas para diminuir a cólica do bebê

Jornadas da Vida - Bebê a Bordo Por Jornadas da Vida – Bebê a Bordo
ícone de relógio indicando o tempo de leitura​ 6 min de Leitura
ícone de calendário indicando a data da publicação​ Criado em 07/09/2023 | Atualizado em 29/08/2023

Compartilhar

Saber como diminuir a cólica do bebê é o objetivo de muitos pais, já que os pequenos ainda estão desenvolvendo os seus sistemas digestivos e podem enfrentar desconfortos nessa fase inicial da vida.

Embora a cólica seja uma ocorrência natural, entender as suas causas e aprender a minimizá-la é fundamental. Assim, é possível garantir um ambiente mais tranquilo e harmonioso para toda a família.

Neste conteúdo, você vai conferir as principais causas da cólica e dicas valiosas para aliviar esse desconforto. Além de entender a importância do acompanhamento pediátrico regular. Boa leitura!

Quais são as principais causas de cólica nos bebês?

Para saber como diminuir a cólica do bebê, é importante ter em mente o que causa esse desconforto.

Basicamente, as cólicas são um resultado da imaturidade do sistema digestivo do bebê e das adaptações que ele precisa fazer para funcionar de maneira eficiente.

Além disso, outros fatores podem contribuir para esse problema. Incluindo a ingestão de ar durante a amamentação ou o uso da mamadeira, a sensibilidade a certos alimentos presentes no leite materno, refluxo gastroesofágico e, até mesmo, o choro excessivo.

Ainda não existe uma explicação definitiva para as cólicas, mas compreender esses fatores pode ajudar você a adotar medidas para minimizar o desconforto do seu filho.

Afinal, como diminuir a cólica do bebê?

7 dicas para diminuir a cólica do bebê

Ter sucesso ao tentar diminuir a cólica do bebê nem sempre é uma tarefa fácil. Contudo, algumas estratégias eficazes podem ajudar a aliviar o desconforto do pequeno e trazer um pouco mais de tranquilidade para a rotina familiar. Confira as dicas a seguir!

1. Massagem suave

Essa é uma técnica que traz benefícios não apenas para o alívio da cólica, mas também para o fortalecimento do vínculo entre os pais e o bebê. Para realizar a massagem, escolha um momento em que o seu filho esteja relaxado, como depois do banho.

Use movimentos circulares e leves na sua barriguinha, no sentido horário, seguindo o caminho do sistema digestivo.

Isso pode estimular o trato gastrointestinal, promovendo uma melhor circulação e aliviando a tensão abdominal. A massagem também pode ajudar a liberar gases acumulados, o que vai trazer alívio.

2. Posicionamento adequado durante a amamentação

O posicionamento correto durante a amamentação também é uma das opções para tentar diminuir a cólica do bebê. Certifique-se de que ele esteja alinhado corretamente, com a boca pegando toda a aréola, em vez de somente o mamilo.

Isso não apenas garante uma amamentação eficaz, como também reduz a ingestão de ar enquanto o bebê se alimenta. Quando ele ingere menos ar, há menos gás acumulado no trato digestivo, o que diminui a probabilidade do desconforto causado por cólicas.

3. Compressas quentes

Outra forma de diminuir cólica do bebê é usando compressas quentes, pois elas costumam proporcionar um alívio imediato para a dor abdominal.

Antes de aplicar a compressa, verifique cuidadosamente a temperatura, para garantir que não esteja muito quente. Uma vez aquecida apropriadamente, coloque-a em uma área confortável da barriga do pequeno e segure-a delicadamente.

O calor ajuda a relaxar os músculos abdominais, aliviando a tensão e proporcionando um conforto temporário ao seu filho.

Lembre-se de nunca deixar a criança sozinha com a compressa quente e de remover assim que ela começar a esfriar.

4. Acompanhamento profissional

A orientação de um profissional de saúde é fundamental para garantir que as cólicas sejam adequadamente gerenciadas.

Portanto, agendar consultas regulares com um pediatra permite que o bebê seja monitorado — em seu crescimento, desenvolvimento e bem-estar geral.

O pediatra também pode oferecer conselhos específicos com base na situação única do bebê e descartar quaisquer problemas médicos que possam contribuir para as cólicas.

5. Uso de chupetas e sucção não nutritiva

A sucção não nutritiva (de chupetas ou do dedo) é reconfortante para muitos bebês e pode ajudar a aliviar a dor associada às cólicas. Isso porque a ação de sugar proporciona uma sensação de conforto e libera endorfinas, que têm efeitos calmantes.

Mas é importante usar essa técnica com moderação, especialmente se o seu filho estiver sendo amamentado, para evitar que a sucção não nutritiva prejudique a amamentação.

6. Redução do consumo de alimentos específicos pela mãe (caso esteja amamentando)

Se a mãe estiver amamentando, a alimentação dela pode influenciar as cólicas do bebê. Alguns alimentos, como brócolis, couve-flor, feijão e laticínios, podem causar gases e desconforto no pequeno quando passam para o leite materno.

Uma dica é manter um diário alimentar da mamãe para identificar se certos alimentos estão correlacionados com o aumento das cólicas. Reduzir ou evitar temporariamente esses itens pode contribuir para aliviar os sintomas.

7. Estímulo ao movimento e troca de posições

Incorporar movimentos suaves e variar as posições do bebê ao longo do dia pode ser uma estratégia eficaz para diminuir a cólica.

O balanço gentil nos braços dos pais, o passeio de carrinho ou o uso de um balanço apropriado pode ajudar a acalmá-lo e aliviar o desconforto abdominal.

Essa estratégia de como diminuir a cólica do bebê também ajuda a estimular a passagem de gases e a melhorar a circulação no trato gastrointestinal.

Além disso, trocar a posição do bebê durante a amamentação ou após a alimentação também pode ser benéfico. Por exemplo, mantenha a criança na vertical por alguns minutos para ajudar a liberar gases antes de colocá-la de volta na posição horizontal.

Essa variedade de posições e movimentos pode aliviar as cólicas e também mantém a criança distraída e envolvida, contribuindo para um ambiente mais tranquilo e agradável.

Qual é a importância do acompanhamento regular?

Acompanhar regularmente o desenvolvimento e a saúde da criança com um pediatra é essencial para garantir que qualquer problema seja identificado e tratado precocemente, como as cólicas.

Os profissionais de saúde têm a expertise necessária para avaliar o bem-estar do seu filho, fazer exames, dar orientações específicas para cada caso e fornecer suporte aos pais.

Além disso, o pediatra pode ajudar a diferenciar as cólicas normais de problemas mais sérios, como intolerâncias alimentares ou alergias.

Portanto, ter um profissional de confiança para recorrer em momentos de preocupação é uma parte fundamental do cuidado com a criança.

A cólica é uma fase desafiadora. Mas com o conhecimento adequado e a aplicação das técnicas corretas, é possível minimizar o desconforto e garantir um ambiente mais sereno para todos.

Agora que chegamos ao fim do nosso conteúdo, não deixe de conferir 20 opções de receitas saudáveis para as crianças. O seu filho vai amar!